Ação conjunta realiza vistoria em clínicas de estética da capital

Informar-se previamente na Ouvidoria da Saúde (fone 0800 644 0041) sobre as condições sanitárias dos estabelecimentos de estética é a recomendação da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba para quem pretende se submeter a algum serviço oferecido por eles.

A medida é necessária para evitar situações como as apuradas essa semana pela Operação Vênus, feita em conjunto pelo Núcleo de Repressão aos Crimes Contra a Saúde (Nucrisa), Vigilância Sanitária Municipal, Conselho Regional de Medicina (CRM) e Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito-8), em que pessoas buscando melhorar a aparência acabaram sofrendo lesões de pele e apresentaram denúncias à polícia.

Durante dois dias, a operação inspecionou seis estabelecimentos localizados nos bairros Batel, Água Verde e Bigorrilho – todos os que foram objeto de denúncia ao Nucrisa – e encontrou irregularidades que geraram cinco procedimentos criminais, além de infrações éticas, administrativas e sanitárias.

Nesse último quesito, representantes da Vigilância Sanitária encontraram medicamentos, produtos sem identificação,cosméticos e anestésicos vencidos, aparelhos de laser sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e reaproveitamento de material. Também detectou clínicas que não puderam comprovar a manutenção de equipamentos e plano de gerenciamento dos resíduos gerados.