Estão abertas as inscrições para cursos de capacitação on line

Conveniência, praticidade, confiabilidade e qualidade são conceitos fundamentais para os produtores rurais e de pequenas agroindústrias que querem conquistar consumidores no mercado de alimentos. E para garantir produtos mais competitivos, além dessas questões, os produtores também precisam investir em ações efetivas de comunicação visual e marketing.

O recado foi dado por especialistas nesta sexta-feira, dia 27, durante o Foco – Cenários & Tendências do Agronegócio, evento promovido pelo Sebrae/PR e Sistema Faep/Senar-PR, para uma plateia de produtores de todo o Paraná, reunida na sede do Sebrae/PR, em Curitiba.

O Foco – Cenários & Tendências do Agronegócio foi idealizado com o objetivo de discutir as referências para tornar produtos mais atrativos para o cliente, a partir de investimentos na marca, embalagens e rótulos, seguindo tendências de mercado e que tornem os pequenos empreendimentos rurais mais competitivos.

Na abertura do evento, que contou com o apoio de entidades parceiras, o diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio Cezar Agostini, observou que, há cerca de três anos, a entidade identificou dois focos de atuação no setor do agronegócio.

“Decidimos trabalhar em duas frentes. Com produtos-âncora, que podem levar inovação a uma região, como é o caso dos cafés especiais produzidos no norte do Paraná, ícone do Estado, que obteve recentemente registro de indicação geográfica. E com agroindústrias, com o objetivo de melhorar a qualidade produtiva para que, no estágio seguinte, elas possam acessar novos mercados”, observou Agostini.

Élcio Chagas, do Senar-PR, enfatizou que é preciso aproveitar as oportunidades decorrentes das mudanças que estão acontecendo. “Precisamos olhar o nosso produto, produzido com carinho na nossa propriedade, e olhar para o nosso rótulo, mas com os olhos do que o mercado quer. E o meu desejo é que vocês não resistam às mudanças”, disse.

Para o diretor-presidente do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Rubens Ernesto Niederheitmann, a parceria contribui para a qualificação dos produtores. “Muitas coisas evoluíram. Hoje, vocês têm produtos em um padrão de qualidade capaz de competir com qualquer um, pois vocês alcançaram um nível de excelência e queremos ver vocês em um patamar ainda maior.”

Produção x consumo

No evento, a coordenadora estadual de Agronegócio do Sebrae/PR, Andréia Claudino, fez a palestra “O que o consumidor valoriza em um produto na hora de comprar”.  Para ilustrar, apresentou dados de uma pesquisa, realizada pela FIESP e Ibope, que apontou quais aspectos são valorizados pelo consumidor. Conveniência e praticidade foram itens citados por 34% dos entrevistados e confiabilidade e qualidade foram destacados por 23%.

“Antigamente, a gente via alimentos sendo comercializados em pacotes de dois, cinco quilos. Hoje isso mudou. Quando você oferece o alimento porcionado, você garante praticidade para o consumidor. Outra questão está relacionada à embalagem, o consumidor quer uma embalagem fácil de abrir. Ou seja, quem fala qual é a necessidade é o consumidor”, observou.

De acordo com Andréia Claudino, além de produzir com qualidade, pré-requisito e não mais diferencial na produção de alimentos, é preciso comunicar.

Imagem x vendas

O consultor e palestrante em Marketing, Comunicação Corporativa, Criatividade e Vendas, Eloi Zanetti, foi convidado para o evento. Ele fez uma análise da importância da boa comunicação visual para a promoção das vendas. “Uma boa embalagem dá a motivação para o cliente pagar mais”, observou o especialista.

Zanetti enfatizou a importância dos produtores observarem qual é a história do produto, para poder contá-la ao cliente, como, por exemplo, informar o local ou a região em que é realizada a produção, como é o processo de fabricação, se há, na composição, algum ingrediente especial. Esses cuidados, de acordo com ele, criam um sentimento de pertencimento tanto por parte dos funcionários quanto dos consumidores.

Outra dica passada por Zanetti foi com relação à escolha do nome do produto. “Não escolham nomes difíceis, que as pessoas não sabem pronunciar, porque elas darão outro nome ao produto. A escolha do nome pode vir de uma pessoa ou personagem, do local de origem, como a região”, exemplificou.

Sobre a elaboração da arte para o rótulo e embalagem, o especialista alertou sobre a importância de saber escolher o tipo da letra e, ainda, de não misturar vários tipos de fontes, que confundem o consumidor. “Tomem cuidado em aplicar a letra branca em um fundo verde ou preto, além do tamanho da fonte, muito pequena, o que dificulta a leitura”, orientou.

Experiências

O Foco – Cenários & Tendências do Agronegócio ainda contou com a presença de três produtoras de agroindústrias. Anete Barison Dal Sasso, que produz doces com a marca Duga; Renata Slongo, dos Produtos Zita; e Maria Lucia da Silva, que produz pimentas com o nome Sabor da Vila, contaram como o investimento em ações de marketing e comunicação visual melhoraram a apresentação de seus produtos.

Elas participaram de um bate-papo com Zanetti e responderam a perguntas dos participantes.

Após as palestras na sede do Sebrae/PR, os participantes do Foco – Cenários & Tendências do Agronegócio, os produtores seguiram para a Feira de Sabores, evento que, em 2012, chega à 13ª edição e acontece, nesta semana, até domingo, dia 29, no novo pavilhão de eventos do Parque Barigui.

Realizado pelo Sebrae/PR e Sistema Faep/Senar-PR, o Foco – Cenários & Tendências do Agronegócio contou com o apoio do Governo do Paraná, por meio da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, do Programa de Agroindústria Familiar – Fábrica do Agricultor e Emater.