Exportação de milho pelo Porto de Paranaguá aumenta 65%

O aumento da área plantada e condições climáticas favoráveis estão fazendo com que a segunda safra de milho no Brasil seja recorde em 2012. O Porto de Paranaguá, segundo maior exportador de milho do País, escoou de janeiro a julho 1,3 milhão de toneladas do produto, volume 65% superior ao registrado no mesmo período de 2011.

O Paraná, que é o segundo maior produtor nacional de milho, deve colher nesta safra cerca de 10,5 milhões de toneladas do grão, de acordo com o Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento. O Mato Grosso, líder nacional na produção de milho, deve colher entre 13 e 14 milhões de toneladas.

O recorde na produção deve levar a um recorde também nas exportações de milho pelo Brasil, que deverá ocupar a segunda posição mundial entre os países exportadores do grão, atrás apenas dos Estados Unidos.

A previsão de uma supersafra de milho, que agora se confirma, já havia impulsionado as exportações de soja, visando desafogar os armazéns e preparar a logística para embarque do milho. De janeiro a julho, o Porto de Paranaguá exportou 5,6 milhões de toneladas de soja, um volume 23% superior ao registrado no mesmo período de 2012.

“Esta foi uma das melhores temporadas para o exportador de soja, que viu o preço da saca do produto passar da casa dos R$ 80,00. Com o bom preço do produto no mercado externo e a necessidade de liberar espaços para receber o milho, tivemos este grande aumento nas exportações da soja nos últimos meses”, explica o superintendente dos portos de Paranaguá e Antonina, Luiz Henrique Dividino.

Das 24,6 milhões de toneladas de mercadorias movimentadas pelos portos paranaenses até julho (volume 5% superior ao dos primeiros sete meses de 2011), 12,5 milhões de toneladas correspondem aos granéis sólidos exportados, cuja movimentação cresceu 10% no comparativo com 2011.