Surto de Hepatite A em Curitiba tem transmissão de pessoa a pessoa, diz secretaria

De janeiro a 24 de maio de 2024, foram confirmados 255 casos e cinco mortes por Hepatite A na capital paranaense

Publicado em 27 maio 2024, às 17h49. Atualizado às 19h17.

O Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) identificou que o surto de Hepatite A em Curitiba é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por relação sexual desprotegida. A transmissão se dá por meio do compartilhamento de objetos, mãos contaminadas ou sexo anal/oral entre uma pessoa que adoeceu pelo vírus A da hepatite e outra saudável. A contaminação acontece pelo contato de fezes com a boca.

Hepatite A
Teste de Hepatites Virais sendo realizados. (Foto: Hully Paiva/SMCS)

De janeiro a 24 de maio de 2024, foram confirmados 255 casos e cinco mortes por Hepatite A em Curitiba. Uma pessoa precisou de transplante hepático em decorrência da doença.

“As pessoas que tiveram a confirmação de Hepatite A devem redobrar a atenção para não transmitir o vírus aos seus contatos. Mesmo depois de se recuperar da doença, a pessoa continua eliminando o vírus nas fezes por até cinco meses, o que reforça a necessidade de cuidados com a higiene”, explica o diretor de Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, geralmente, a Hepatite A é uma doença benigna, que evolui para a cura, principalmente quando acomete crianças. No entanto, há tendência de agravamento quando acomete adultos, que podem desenvolver um quadro agudo que compromete o fígado, levando a internações e até mesmo ao óbito.

O foco principal de contaminação do surto registrado em Curitiba são os jovens adultos, principalmente homens entre 19 e 39 anos, que não foram imunizados contra a doença durante a infância.

Vacinação

Desde 2014, a vacina contra a Hepatite A está disponível no SUS para crianças até os cinco anos de idade, o que diminuiu a ocorrência da doença no público infantil. Anteriormente, as contaminações eram mais relacionadas a condições de baixo saneamento e ao consumo de alimentos e água contaminados, mas não é a situação atual em Curitiba.

De acordo com o médico da SMS, o vírus encontrou uma população vulnerável, que não teve a vacina na infância e nem se contaminou quando criança, visto que a imunidade contra a Hepatite A é adquirida por ter se infectado pelo vírus ou pela vacina.

225 casos de Hepatite A são confirmados em Curitiba

Dos 255 casos de Hepatite A confirmados em Curitiba, 193 atingiram homens (76%) e 62, mulheres (24%). Destes, 120 foram internados (47%) e 10 precisaram de cuidados intensivos em UTI. Um homem de 46 anos passou por transplante hepático em decorrência da Hepatite A aguda e foram confirmados cinco óbitos em decorrência da doença. Havia ainda uma sexta morte em investigação, mas foi descartada pela investigação do Centro de Epidemiologia.

Quer receber notícias no seu celular? Entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui.

Mostrar próximo post
Carregando