Gaeco investiga esquema criminoso em órgão do Detran no Paraná

Três servidores foram afastados das funções, entre eles um chefe de departamento e um assessor de um vereador

por Guilherme Becker
com informações do MPPR
Publicado em 11 jun 2024, às 09h44.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realiza na manhã desta terça-feira (11) uma operação contra um possível esquema criminoso em um órgão do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR). As investigações, que tiveram início em março de 2023, apontam para o vazamento de informações com objetivo de favorecer determinado despachante.

Operação do Gaeco contra órgão do Detran cumpre 37 mandados judiciais
Operação do Gaeco contra órgão do Detran cumpre 37 mandados judiciais (Foto: Divulgação/ MPPR)

A operação Money Poup investiga possíveis crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica, falsificação de documento público e lavagem de bens, direitos e valores relacionados à 86ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), com sede em Sarandi. As ordens judiciais foram expedidas pela 2ª Vara Criminal de Sarandi e cumpridas em endereços relacionados aos investigados em Sarandi, Maringá e Santa Fé.

Ao todo, foram emitidos 37 mandados de busca e apreensão, monitorações eletrônicas, recolhimentos domiciliares, proibições de acesso e frequência a determinados lugares e proibições de contato com pessoas determinadas.

Leia também:

Servidores são afastados em operação do Gaeco em órgão do Detran

O Gaeco de Maringá recebeu informações sobre um possível esquema de venda de informações privilegiadas por parte de servidores do Detran-PR em favor de determinado despachante. O avanço da apuração identificou empresas e pessoas físicas que seriam beneficiárias do esquema.

Operação do Gaeco cumpre mandados em cidades do noroeste do Paraná
Operação do Gaeco cumpre mandados em cidades do noroeste do Paraná (Foto: Divulgação/ MPPR)

O chefe e um servidor público da Ciretran, além do assessor de um vereador de Maringá, foram afastados cautelarmente de suas funções públicas por conta do aparente envolvimento nos fatos.

Quer receber notícias no seu celular? Então entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui 

Mostrar próximo post
Carregando