BNDES aprova financiamento de R$ 131 milhões para obras na Baixada

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou ontem (08) um financiamento de R$ 131 milhões para a reforma e ampliação do Estádio Joaquim Américo (Arena da Baixada), em Curitiba, que receberá os jogos da Copa do Mundo de 2014.

O recurso será liberado por meio do programa BNDES ProCopa Arenas. Para viabilizar a operação haverá dois contratos de financiamento. O primeiro contrato será entre o banco nacional e o Estado do Paraná. Quando liberado, todo o recurso será imediatamente aportado no Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE), administrado pela Fomento Paraná.

A seguir, a Fomento Paraná assinará um contrato com a CAP S/A – sociedade de propósito específico criada pelo Clube Atlético Paranaense para gerir as obras do estádio – que receberá o valor integral disponibilizado pelo BNDES.

Os valores envolvidos na operação correspondem a 71% do investimento total orçado para as obras da Arena, que chega a R$ 184,6 milhões. O financiamento será liberado em cinco parcelas. A primeira delas deve ocorrer 30 dias depois da assinatura dos contratos. O prazo de pagamento será de 15 anos, com dois de carência.

Os juros incidentes sobre o financiamento são os mesmos aplicados para os demais estádios do País que acessaram a linha de crédito do Programa ProCopa Arenas (BNDES) e estão fixados em TJLP mais 1,9% ao ano. Neste trimestre, correspondem a 7,4% ao ano.

Para receber os recursos, o Clube Atlético Paranaense dará como garantias os títulos de potencial construtivo emitidos pela Prefeitura de Curitiba em seu favor, hoje estimados em R$ 92,2 milhões. Além disso, terá que hipotecar o seu centro de treinamentos (R$ 46,2 milhões) e fazer um seguro dos valores envolvidos na operação.

Arena

A Arena da Baixada está sendo adaptada ao caderno de encargos da Federação Internacional de Futebol (FIFA) e terá capacidade para 41.375 pessoas. O estádio deve ser tornar um espaço multiuso. Segundo a CAP S/A, a obra adota padrões que possibilitarão a certificação LEED (construção “verde”), cumprindo exigência expressa no contrato de financiamento.

As obras estão em andamento desde o final de 2011 e a conclusão está prevista para julho de 2013. O projeto abrange aproximadamente 124 mil metros quadrados de área construída, sendo 50 mil metros quadrados reformas e 74 mil metros quadrados de novas áreas.