Patinadoras curitibanas representarão o Brasil em Paris

Quatro atletas beneficiárias da Lei Municipal de Incentivo ao Esporte foram convocadas para representar o Brasil na Copa de Dança de Patinação Artística – Paris, que acontecerá de 6 a 8 de abril na França. As atletas Nathalia di Pretoro, de 14 anos; Najla Saeme Sato, de 14 anos e Georgia Esperança Mansani, de 14 anos, disputarão a categoria cadete (de 14 a 16 anos), enquanto Ariane Francez, de 16 anos, competirá na categoria Jeunesse (16 a 17 anos).

“Esta é a primeira vez que o Brasil terá representantes nesta competição e é uma grande satisfação para a Prefeitura de Curitiba que diversas atletas incentivadas tenham conquistado a convocação, mostrando a importância desta Lei para o desenvolvimento e aprimoramento de nossos atletas em diferentes modalidades esportivas”, disse o prefeito Luciano Ducci.

A Copa de Dança contará com atletas de todo o mundo, incluindo da Itália, atual campeã mundial. A competição terá provas de Solo Dance, modalidade que utiliza patins sem freios e que as atletas devem executar um diagrama pré-determinado de movimentos, exigindo extrema precisão técnica; Free Dance, modalidade que utiliza patins com freios, com apenas alguns movimentos pré-determinados e liberdade de escolha na coreografia, exigindo velocidade e interpretação artística das atletas.

Durante a competição também haverá premiação para a categoria Combinado, que é um somatório das outras modalidades, com 25% da nota proveniente do Solo Dance e 75% do Free Dance.

Experiência – Apesar de estarem acostumadas a participar de torneios e campeonatos internacionais sul-americanos, esta será a primeira vez que as quatro atletas disputarão uma competição na Europa. Atual campeã interamericana e brasileira na modalidade Free Dance – categoria cadete, Ariane Francez subiu de categoria devido à idade e terá que superar o desafio de enfrentar atletas mais experientes.

“Participar dessa Copa será um aprendizado incrível, especialmente por ter a oportunidade de competir contra as melhores atletas da minha categoria”, disse Ariane. “Acabei de entrar na categoria júnior, que junto com a sênior são as únicas que podem disputar o Campeonato Mundial. Espero conseguir uma boa classificação em Paris, adquirir experiência e aprimorar minhas habilidades para continuar trabalhando para conquistar uma vaga no Campeonato Mundial, que é meu grande sonho e objetivo”.

O objetivo de Ariane, por enquanto, ainda é um sonho para Nathália, Najla e Georgia, que disputam a categoria Cadete e ainda não podem pleitear vaga no Campeonato Mundial. Ainda assim, todas sabem da importância de participar de uma competição que reúne atletas de todo o mundo, onde poderão testar suas habilidades e começar a se acostumar a competir com seleções de outros continentes.

“Para nós três que estamos na Categoria Cadete, competir na Copa de Paris vai ser uma experiência incrível e um enorme desafio. A expectativa é bem grande, especialmente porque a arbitragem da competição nunca viu uma apresentação nossa e será muito importante para nosso desenvolvimento verificar como avaliam nossas apresentações”, disse Nathalia Di Pretoro, terceira colocada na Copa Interamericana em Solo Dance e no Open Sulamericano nas modalidades Solo Dance; Free Dance e Combinado na categoria cadete.

“Vamos ter a oportunidade de disputar a Copa contra equipes que não conhecemos e que costumam ir muito bem nas principais competições mundiais. Competir contra as melhores é muito importante para o nosso aprimoramento, já que poderemos observar e analisar as técnicas e movimentos das seleções mais fortes do mundo”, disse Georgia Esperança Mansani,  quarta colocada no Copa Interamericana no Free Dance Infantil e campeã sul-americana de Quarteto Infantil em 2011.

Campeã na categoria Solo Dance Gold do Campeonato Brasileiro Inter-Seleções 2011, Najla Saeme Sato destacou a importância da competição. “É a primeira vez que o Brasil terá uma equipe nesta competição. E para nós, vai ser uma experiência de vida, já que nenhuma foi para a Europa antes. Esperamos começar a destacar mais a patinação artística no Brasil, criando oportunidades para outras atletas”.

Participar da competição também é encarado como uma forma de despertar o interesse e apoio da iniciativa privada. Das quatro atletas beneficiárias da Lei de Incentivo ao Esporte, apenas Nathalia di Pretoro conta com patrocínio da iniciativa privada, recebendo equipamentos da empresa Rye Patins.

“Eu tenho sorte de contar com o apoio da Lei de Incentivo ao Esporte e de um patrocinador privado que me ajudam muito, mas para a maioria das atletas de alto rendimento, apenas a Prefeitura tem buscado ajudar na prática do esporte. Curitiba tem uma ótima geração de patinadoras e esperamos continuar conquistando títulos e representando o país para fortalecer o esporte e atrair mais patrocinadores para as atletas”, disse Nathalia.

Lei Municipal de Incentivo ao Esporte – Coordenada pela Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude, a lei capta recursos do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) que são investidos em atletas, instituições sociais e projetos na área do esporte.

Para ser beneficiário da Lei do Incentivo ao Esporte, o atleta deve ter residência fixa há mais de um ano em Curitiba e montar um projeto que defina a razão da solicitação, as metas que pretende alcançar e seus custos.

Em contrapartida, o atleta incentivado precisa prestar contas durante e ao final de cada semestre, bem como participar de ações que visem à promoção social no Município.

Os interessados têm duas oportunidades por ano para protocolar seus projetos na Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude – a primeira em março (de 1º a 31) e a segunda em setembro (de 1º a 30).

Durante os meses de fevereiro e agosto, a Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude promove palestras para orientar na elaboração de projetos para a Lei de Incentivo.

5 mar 2012, às 00h00.
Mostrar próximo post
Carregando