Fala, Dalke

por Felipe Dalke

Nós vivemos numa era de constante evolução e todos sabem disso, mas é natural que o saudosismo impere (até demais) em muitas oportunidades. A Seleção brasileira é uma das grandes provas de que, futebolisticamente falando, a nossa sociedade se prende aos feitos passados. Frases como “na minha época, o futebol era bem melhor” e “quem tem mais, tem cinco” são ouvidas recorrentemente mas o esporte mudou de patamar.

No futebol, somos lembrados constantemente sobre Pelé, Garrincha, Gerson, Tostão, Zico e tantos outros, mas essas comparações não são feitas apenas no “nosso” esporte.

No futebol americano, se prendem até hoje à hegemonia de Dan Marino e Joe Montana. No basquete, a mesma coisa acontece com Larry Bird, Magic Johnson e Michael Jordan um pouco depois. E sempre que existir uma comparação com jogadores atuais, vão menosprezar de certa forma. Entendam, não estou escrevendo isso para exaltar ninguém e sim para tentar falar o quanto os esportes em equipe mudaram.

Nas décadas de 60, 70, 80 e início dos anos 90 o que mais prevalecia era o talento individual, a parte técnica, e nisso o Brasil sempre sobrou e sempre vai sobrar. Só que vivemos na era da tecnologia e tudo o que importa é sempre informação. Quanto mais estudo sobre o jogo, mais fácil acontecerá a evolução dentro de uma partida e, repito, serve para qualquer esporte coletivo.

O futebol é um esporte de elo fraco. Não importa o quão bom é o seu melhor jogador, o que mais vai contar é o quão bom seja o seu pior jogador. Ninguém mais decide nenhum jogo sozinho porque o plano tático, principalmente em nível alto – como o europeu -, se tornou ainda mais fundamental. A mecanização de movimentos, a capacidade cognitiva de entender o que fazer dentro de campo e se adaptar em posições superam a nossa superioridade técnica.

A derrota para o Uruguai e o empate contra a Venezuela escancaram a evolução tática das outras seleções. Aplicação e estudo hoje contam bastante no esporte e é totalmente normal que não seja mais tão fácil quanto era antes. Erros acontecem mas nem sempre é apenas desmérito de quem perde. A evolução no esporte é questão de informação.

Veja mais notícias e opiniões do esporte paranaense.

18 out 2023, às 11h53. Atualizado às 14h26.
Mostrar próximo post
Carregando