A plataforma Maria Family, que conta com site, aplicativo e perfil nas redes sociais, funciona para auxiliar no combate a violência contra mulheres e também para ajudar na recuperação de vítimas. De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e Ipec: a cada 10 minutos, uma mulher é vítima de estupro; a cada 7 horas, uma mulher é morta por feminicídio; a cada 1 minuto, 25 brasileiras sofrem violência doméstica.

Com o objetivo de reduzir estes números, foi criado o app Maria Family, uma tecnologia rápida, intuitiva e de fácil acesso. O aplicativo surge como uma ferramenta voltada para a geração de conteúdo, apoio por meio de uma rede segura e sigilosa e, em especial, para o acolhimento psicológico online, no qual as mulheres de todo o país poderão encontrar ajuda especializada.  Veja como baixar:

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Maria (@maria.family_)

A missão do projeto Maria Family é acolher, ouvir e educar:

  • Conscientização: Oferta de conteúdos educativos gratuitos sobre o tema “violência contra a mulher” e seus desdobramentos;
  • Acolhimento psicológico: Atendimento psicológico online gratuito, realizado por nossas “Mariólogas”, um time de cerca de 100 psicólogas cadastradas;
  • Empoderamento: Disponibilização de cursos de empoderamento feminino com mulheres e influenciadoras que inspiram
  • Educação: Treinamentos através de diversos cursos online, em parceria com o grupo G4 Educação

Todos podem ajudar as Marias

No site, é possível encontrar informações legais e de apoio para disseminar conhecimento e viabilizar o empoderamento feminino. Como o bem-estar mental é muito importante, também existe um espaço para profissionais que queiram apresentar sua expertise e propiciar a oportunidade de um atendimento qualificado fazendo um bem ao próximo. 

Além de acolher, há também espaços para todo tipo de contribuição. ONGs e Empresas que desejam ser parceiras podem se cadastrar. Além da participação da sociedade civil, há também um espaço destinado à participação de qualquer cidadão, que ao doar R$ 34,99 ajudará a tirar uma mulher de situação de risco. 

“Grande parte das mulheres é sobrecarregada em tempo integral. Resolvemos criar a Maria, uma melhor amiga para todas as horas, para ajudar a compartilhar o peso dessa carga que é demais para aguentar sozinha”, diz Felipe Rigoni, fundador da plataforma.

Neste mês de agosto, que é celebrado o Agosto Lilás, a plataforma criou uma ação nas redes sociais para aumentar a divulgação entre as mulheres e salvar vidas. Ao usar o filtro “Agosto Lilás” em sua foto de perfil, você pode salvar vidas comunicando a importância desse movimento e mostrando a outras mulheres que elas podem ser acolhidas através da nossa plataforma. O filtro está disponível em @maria.family_.

Maria Family

A plataforma Maria Family foi fundada há 2 anos por Felipe Rigoni, publicitário pós-graduado em empreendedorismo social e negócios de impacto. A iniciativa foi uma homenagem a duas outras mães que a vida lhe deu, além da sua, Cláudia Mara: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, daí o nome, Maria; e sua principal colaboradora, a psicóloga Sonia Ana Leszczynski, formada na UTP e com Masters e PhD pela University of Iowa, e membro da UNESCO / UNEVOC, centro internacional para Educação e Formação para o Ensino técnico e profissional, que faz parte do mandato das Nações Unidas para promover a paz, a justiça, a equidade, redução da pobreza e uma maior coesão social.

O projeto nasceu inicialmente no Instagram, de onde vem ajudando milhares de mulheres em situação de vulnerabilidade. Agora, através do app Maria Family, o objetivo é conseguir atender a um total de 500 mil mulheres ainda este ano de 2022.

22 ago 2022, às 10h31. Atualizado às 14h38.
Mostrar próximo post
Carregando