Paixão por psicanalista é abordada com humor em romance juvenil

Freud, me tira dessa! é baseado no conceito de “transferência” do pai da psicanálise

O pai da Psicanálise, Sigmund Freud, comemoraria seu 156º no próximo dia 6 de maio. Freud nasceu em 1856, na Áustria. Era médico e foi pioneiro nos estudos sobre a cura pela fala. Dentre suas importantes teorias está a do fenômeno da “transferência”, onde o paciente desloca para o terapeuta suas fantasias infantis. De acordo com Freud, a transferência era um grande passo pela cura e um dos elementos fundamentais para caracterização do método de tratamento psicanalítico.

É embalado nessa concepção que o livro Freud, me tira dessa!, da escritora Laura Conrado, narra com leveza e sensibilidade a trajetória de Catarina, uma jovem que passa a morar sozinha em função do novo emprego. Disposta a rever suas escolhas, Cat busca ajuda na psicoterapia. Como se não bastasse o dolorido processo de conhecer a si mesma e de adentrar na relação com seus familiares, Catarina se apaixona pelo terapeuta. No auge de sua angústia, a personagem recorre ao pai da Psicanálise para sair dessa. O livro foi baseado em uma experiência da autora, que se apaixonou pelo seu antigo terapeuta quando mais nova.

Sobre a autora: Laura Conrado nasceu em Belo Horizonte/MG, em 1984. É jornalista, pós-graduada em Educação, Criatividade e Tecnologia. Já trabalhou em mídias impressa e televisiva, assessorias de comunicação e criação de roteiros. É autora de livros infantis. Freud, me tira dessa! é seu primeiro romance.

6 maio 2012, às 00h00.
Mostrar próximo post
Carregando