Ricardo Barros ataca Moro: "nem deveria estar na política"

Fala, Marc!

por Marc Sousa
Publicado em 13 jun 2022, às 14h26. Atualizado às 15h36.

O deputado federal Ricardo Barros (PP) concedeu uma entrevista na manhã desta segunda-feira (13) para o Jornal da Manhã Paraná da Jovem Pan. O líder do governo na Câmara Federal criticou a participação do ex-juiz Sérgio Moro e Deltan Dallagnol na política em uma tentativa de “tomar o lugar dos políticos”.  

Para Barros, a dupla usou a Operação Lava Jato como promoção para ascender no cenário político nacional. 

“O Sergio Moro não soube conduzir de forma previsível a sua participação no processo político. Aliás, ele e o Deltan Dallagnol nem deveriam estar na política. Eles não poderiam ter usado a carreira profissional pública de juiz e de promotor, para se promover para participar do processo político”, disse o deputado. 

Segundo o parlamentar, Moro e Dallagnol acusaram a maioria dos investigados da Lava Jato indevidamente. 

“Eles não atacaram os políticos porque tiveram alguns problemas. Existiam alguns com certeza, mas muitos foram acusados indevidamente, a maioria. E usaram isso para se promover, para tomar o lugar dos políticos. Lamentável que a gente tenha esse quadro”, acusa Barros. 

Durante a entrevista, Ricardo Barros ironizou a tentativa de Sérgio Moro de se candidatar ao senado em São Paulo. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) negou o pedido de transferência de domicílio eleitoral de Moro para a capital paulista, voltando as atenções do ex-juiz para o cenário político do Paraná. 

“Ele queria participar por São Paulo, pois achou o Paraná pequeno para ele. Mas agora volta para o pequeno Paraná”, ironizou. 

O progressista também avaliou o cenário político estadual com uma possível candidatura de Sérgio Moro ao senado no Paraná. O deputado alfinetou novamente a dupla, supondo uma disputa pela cadeira de Deputado Federal e uma possível disputa eleitoral entre Moro e Álvaro Dias. 

“Dallagnol está inelegível, pois renunciou a carreira de servidor público com um processo suspenso e três processos administrativos em segredo de justiça. Daqui a pouco vão brigar pela mesma vaga de Deputado Federal. Ou o Moro vai brigar com Álvaro Dias, que montou o partido podemos pra ele, e agora periga vir disputar com o seu padrinho”, finalizou Ricardo Barros. 

Mostrar próximo post
Carregando