Diabetes: o que pode levar a amputação de membros?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), a doença já figura como a principal causa de amputação de membros no país

por Jessica de Holanda
Com revisão de Guilherme Fortunato
Publicado em 5 jun 2024, às 19h31.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), a diabetes é responsável por 70% das amputações dos membros inferiores não tramático, e não a acidentes de trânsito e de trabalho, consideradas traumáticas.

Ambutações de mebros são causadas por diabetes
O cuidado quando se é diabético deve ser maior com os pés (Marcelo Camargo/ Agência Brasil)

“Hoje, nós temos um número grande de amputações sem ser por acidente. E a principal causa é justamente o diabetes, além do cigarro. Então, a gente tem que combater esses males”, reforça o presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes, Levimar Araújo, portador de diabetes tipo 1.

Leia mais:
Pessoas com diabetes podem ganhar laudo vitalício em Curitiba – 3 a 7 de junho
Três receitas fáceis de doces para diabéticos

Pé diabético  

A neuropatia periférica provocada pelo diabetes causa a perda das funções dos nervos do pé. Com isso, ficam prejudicados o tato e a sensibilidade para a dor. Essa redução da sensibilidade relacionada ao diabetes dificulta a percepção do paciente em notar lesões ou feridas.

A SBD aponta também que 13 milhões de pessoas com diabetes têm úlceras nos pés, os chamados pés diabéticos, que podem resultar nestas amputações.

Cuidados com os pés

  • Exame visual periódico dos pés pela própria pessoa, familiar ou profissional de saúde;
  • vestir meias brancas ou de cor clara, principalmente de algodão, para observar possíveis manchas de sangue no tecido;
  • em situações de baixa mobilidade ou sobrepeso, usar um espelho para verificar a sola dos pés;
  • evitar calçados apertados, duros, de plástico, de couro sintético, com bicos finos, saltos altos e sandálias que deixam os pés desprotegidos;
  • escolher sapatos confortáveis;  
  • não usar calçados novos, por mais de uma hora por dia, até que estejam macios;
  • evitar andar descalço para não se machucar em batidas e topadas;
  • cortar as unhas dos pés com um profissional e não retirar calos ou cutículas;
  • manter os pés sempre aquecidos;  
  • verificar a temperatura da água com o cotovelo antes de colocar os pés;
  • não usar bolsas de água quente;
  • hidratar os pés para evitar rachaduras que podem servir de acesso a infecções oportunistas;
  • enxugar a umidade entre os dedos para evitar frieiras;
  • não andar descalço no chão quente para evitar queimaduras; e
  • em caso de lesões, procurar um médico.

Outras complicações

O controle inadequado da glicemia pode resultar em várias complicações, que podem piorar gradualmente a qualidade de vida. 

As principais complicações afetam, sobretudo:   

  • Os olhos, provocando a retinopatia diabética e até a cegueira;
  • Os rins, levando o paciente à insuficiência renal crônica, com a necessidade de realização de diálise;   
  • Os nervos de extremidades (neuropatia periférica), principalmente dos pés, mas também das mãos, que podem resultar em amputações de dedos e membros; 
  • Doenças cardiovasculares, como infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC); 
  • Em gestantes, o diabetes pode provocar complicações nos bebês, como hipoglicemia (glicose baixa) neonatal; nascimento de crianças excessivamente grandes, partos prematuros, deficiência de ferro, alterações de funções como a cardiorrespiratória, entre outras. 

Quer receber notícias no seu celular? Entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui!

Mostrar próximo post
Carregando