Sebastião Barros Marinho, de 64 anos, trabalhava como pedreiro, era casado e tinha oito filhos. Nesta terça-feira (02), o idoso passou mal e foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim do Sol, em Londrina, no norte do Paraná. Ele morreu ao dar entrada na UPA e os parentes afirmam que houve negligência no atendimento.

Em entrevista à RICtv Londrina, a família contou que o idoso passou mal na hora do almoço. Ele teria desmaiado, caído e batido a cabeça. Eles relataram que ligaram ao menos três vezes para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Os parentes do sr. Sebastião apontaram diversos problemas envolvendo o atendimento do idoso. Além da demora em buscá-lo, o homem foi levado para a sala de triagem da UPA e não para o hospital onde já tinha cadastro por conta de um tratamento. Ao dar entrada na UPA, ele acabou tendo uma parada cardíaca.

Em nota, a Prefeitura de Londrina afirmou que o SAMU registrou apenas uma ligação, às 13h45, pelo filho do paciente. A ambulância chegou às 14h09 e os socorristas constataram que o idoso passou mal, mas estava estável e com sinais vitais normais. Eles o levaram para a sala de emergência da UPA e três médicos, além da equipe de enfermagem, iriam cuidar do caso. Logo após dar entrada, o paciente apresentou um mal súbito.

Diante do cenário e das contradições nos relatos, a Prefeitura de Londrina determinou a criação de uma comissão médica para investigar o processo de atendimento do paciente, desde o acionamento do SAMU até o desfecho do caso.

Quer receber notícias no seu celular? Entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui

3 abr 2024, às 14h07. Atualizado às 14h16.
Mostrar próximo post
Carregando