Surto de Hepatite A: mais de 200 casos e 5 mortes são confirmadas em Curitiba

De acordo com a SMS, a doença é predominante em homens entre 20 e 39 anos

por Carol Machado
Com informações da SMS
Publicado em 3 jun 2024, às 12h44.

O boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (3), pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba confirmou um surto de Hepatite A na capital paranaense. Atualmente 17 infecções pela doença foram confirmadas, ao todo, de janeiro até maio deste ano, são 272 casos.

De acordo com a SMS, a doença é predominante em homens (Foto: Cesar Brustolin/SMCS)

De acordo com a SMS, neste período cinco mortes ocorreram e um transplante hepático foi registrado em decorrência da infecção pelo vírus A da Hepatite. Segundo o órgão, a doença é mais predominante em homens, com idades entre 20 e 39 anos, sendo registrados 205 casos (75%). Entre as mulheres foram confirmados 67 casos (25%).

A série histórica da Hepatite A em Curitiba registrou 134 infecções pelo vírus A nos últimos 11 anos, de 2012 a 2023, diferente da situação enfrentada em 2024, que caracteriza surto da doença na cidade.

O que é Hepatite A?

Conforme o órgão de saúde, a Hepatite A é uma doença infectocontagiosa transmitida aos seres humanos por fezes contaminadas. Mesmo após se curar, a pessoa que foi contaminada continua eliminando o vírus nas fezes por até 150 dias.

De acordo com SMS, a doença é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por relação sexual desprotegida. A transmissão se dá por meio do compartilhamento de objetos, mãos contaminadas ou sexo anal/oral entre uma pessoa que adoeceu pelo vírus A da hepatite e outra saudável. A contaminação acontece pelo contato de fezes com a boca.

Prevenção

De acordo com a secretária municipal da Saúde, Beatriz Battistella, é possível prevenir a doença com cuidados de higiene.

“A principal prevenção se dá pelos cuidados de higiene, como a lavagem das mãos e do corpo depois de utilizar o banheiro e do sexo anal, relações sexuais protegidas, além de garantir o acesso a água e alimentos de boa procedência, manipulados com as boas técnicas sanitárias”, explica a secretária municipal da Saúde, Beatriz Battistella.

Além da higiene pessoal, é indicado lavar bem os alimentos antes de consumi-los, bem como cozinhá-los adequadamente, higienizar copos, talheres e pratos.

Conforme o órgão de saúde, outra forma de prevenção é a vacina, que é fornecida desde 2014, às crianças de até cinco anos de idade têm acesso à imunização pelo Sistema único de Saúde (SUS). Além das crianças, os candidatos a transplantes, pessoas com HIV, imunossuprimidos, entre outras situações, podem receber a vacina. Nesses casos, a aplicação é feita nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE).

Além disso, é orientado que os jovens usem proteção ao ter relações sexuais para evitar a transmissão da doença.

Sintomas da Hepatite A

Entre os principais sintomas da doença estão:

  • fadiga
  • febre
  • mal-estar
  • dores musculares

A doença pode passar despercebida, visto que os sintomas podem ser confundidos com outras doenças. É indicado que o paciente procure orientação profissional e evite a automedicação.

“É importante que a pessoa com os sintomas iniciais procure atendimento em uma unidade de saúde ou pela Central Saúde Já – 3350-9000, antes mesmo da evolução do quadro e de aparecer a icterícia”, alerta o diretor do Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides de Oliveira.

De acordo com Oliveira, a Hepatite A em adultos geralmente é mais grave do que em crianças.

“O jovem tem a tendência de minimizar sintomas e se automedicar. No caso da infecção pela hepatite A, isso pode prejudicar o fígado, que já está fragilizado pela doença, e pode ser determinante no agravamento da situação de saúde da pessoa”, explicou.

Quer receber notícias no seu celular? Entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui!

Mostrar próximo post
Carregando