Polícia Civil indicia suspeito de quatro assassinatos em acerto de contas

Homem seria o responsável pelas mortes de quatro usuários de drogas para vingar um roubo cometido contra um idoso

Publicado em 31 maio 2024, às 14h26.

A Polícia Civil indiciou um homem suspeito de cometer quatro assassinatos, em um acerto de contas, nos anos de 2016 e 2017, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. Ele foi indiciado pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe e por impossibilidade de defesa das vítimas, por quatro vezes.

A Polícia Civil indiciou um homem suspeito de cometer quatro assassinatos, em um acerto de contas, nos anos de 2016 e 2017, em Ponta Grossa
Suspeito foi indicado pela morte de quatro pessoas em um intervalo de nove meses (Foto: PCPR)

De acordo com as investigações, esse homem é o responsável pelas mortes de João Adonis Pereira Junior, Andrea Galvão, Weliton Ferreira e Paulo Ricardo Maia, todos ocorridos em um intervalo de pouco mais de nove meses.

Leia mais:

Conforme a polícia, as quatro vítimas eram usuárias de droga e teriam praticado um roubo contra um idoso, que era padrasto de um traficante de drogas da região, alguns meses antes. Após esse roubo, o suspeito teria jurado de morte e matado as quatro vítimas nos meses seguintes, em um acerto de contas.

Mortes ocorreram em um curto intervalo

Dessa forma, o suspeito teria iniciado a vingança com o homicídio de João Adonis Pereira Junior, em julho de 2016. Nessa emboscada, Andrea e Paulo também estavam no local, mas conseguiram fugir.

No entanto, alguns meses depois, no final de fevereiro de 2017, Andrea foi assassinada na companhia de Weliton Ferreira, nas proximidades da linha férrea que corta Ponta Grossa. Por último, Paulo Ricardo foi morto em abril de 2017, nas proximidades do cruzamento das ruas Cascavel e Alvorada do Sul.

O caso do duplo homicídio de Andrea e Weliton chegou a ser arquivado. Mas, diante de novas provas obtidas pelos investigadores, foi solicitado o desarquivamento na Justiça.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o esclarecimento dessa série de crimes faz parte de uma iniciativa do setor de homicídios de buscar autoria em casos antigos. O delegado Luís Gustavo Timossi explica que mesmo que uma investigação seja arquivada, sempre que surgem novas provas, as investigações podem ser reiniciadas.

Quer receber notícias no seu celular? Então entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui

Mostrar próximo post
Carregando