Troco de 27 reais motivou discussão que acabou na morte de dono de lanchonete, diz delegada

O motoboy chegou a prestar socorro a Antônio Almeida, mas depois fugiu do local

por Guilherme Fortunato
com informações da RICtv
Publicado em 20 maio 2024, às 18h22. Atualizado às 18h26.
POST 5 DE 7

A discussão que terminou com a morte do dono da lanchonete Antônio Gregório de Almeida, de 62 anos, em Curitiba, começou por causa de um troco de R$ 27, segundo a delegada Camila Cecconello. A informação foi confirmada pela Polícia Civil durante o depoimento de testemunhas nesta segunda-feira (20). 

Dona de lanchonete
Testemunhas prestaram depoimento nesta segunda-feira (20) (Foto: Marcelo Borges / RICtv / Redes Sociais)

Conforme a delegada, o motoboy e suspeito do crime, trabalha na lanchonete da vítima há pelo menos quatro anos. A discussão começou por causa do troco de uma cliente. 

“Eles iniciam uma discussão ainda mais acalorada, até que o autor acaba empurrando a vítima com as duas mãos e a vítima acaba caindo ao solo. Com a queda, a vítima acabou machucando, batendo a região da cabeça e entrando em óbito devido a esse traumatismo craniano”, disse Cecconello.

Vídeo flagra discussão entre motoboy e dono de lanchonete antes de morte; assista

Um vídeo com imagens de uma câmera de segurança da lanchonete de Antônio Gregório de Almeida, de 62 anos, que morreu no local neste domingo (20), flagrou o momento em que o empresário e um motoboy discutem. Antônio foi empurrado pelo motoboy, conforme relatos de testemunhas. Na queda, ele bateu a cabeça e não resistiu aos ferimentos. Ele morreu vítima de um traumatismo crânioencefálico. (Assista ao vídeo abaixo)

Vídeo flagra discussão entre motoboy e dono de lanchonete antes de morte; assista
Antes da morte do dono da lanchonete, houve uma discussão com o motoboy. (Imagem: Reprodução/Câmera de segurança)

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pela investigação do caso, analisa as imagens. Nelas, o motoboy suspeito de empurrar Antônio troca algumas palavras com o empresário na porta do comércio. Ambos entram e, segundos depois, testemunhas que estão do lado de fora, bem como o próprio motoboy, se movimentam em direção ao local onde o dono da lanchonete estaria caído.

Leia também: Filha de dono de lanchonete morto pede justiça: “Quero acordar desse pesadelo”

A própria esposa de Antônio pediu que o motoboy se retirasse do local, “pois os filhos poderiam partir para cima dele”, explicou a tenente Félix, da Polícia Militar do Paraná (PMPR), em atendimento inicial à ocorrência. 

Assista ao vídeo que flagra a discussão na lanchonete

Motoboy é funcionário antigo de lanchonete

O motoboy é funcionário antigo da lanchonete de Antônio. A discussão foi uma situação inédita entre eles, conforme a delegada Camila Cecconello, da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). “Trabalhavam juntos há muito tempo e foi a primeira fez que houve uma briga que partiu para a agressão física”.

Filha de dono de lanchonete morto pede justiça: "Quero acordar desse pesadelo"
Antonio Gregório de Almeida mantinha o comércio desde os anos 1990. (Foto: Reprodução Facebook Lanchonete Esquina Dog)

A motivação da discussão entre o motoboy e o dono da lanchonete de cachorro quente seria um troco. A delegada instaurou inquérito e vai ouvir testemunhas. Além disso, a equipe de investigação vai analisar as imagens da câmera de segurança.

Leia também: A polícia ainda não localizou motoboy que empurrou dono de lanchonete

A polícia foi até a casa do motoboy, mas ele não estava no endereço. As buscas pelo homem permanecem. O motoboy, conforme a delegada Camila, deverá ser indiciado por crime de lesão corporal seguida de morte. A pena vai de 4 a 12 anos de prisão.

Quer receber notícias no seu celular? Entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui

Mostrar próximo post
Carregando