Secretário garante estrutura para alunos mesmo com greve: “Quem não for é falta”

Secretário Roni Miranda orienta que pais mandem os filhos para escolas; estrutura para aulas virtuais foi montada na sede da Seed

Publicado em 3 jun 2024, às 11h24. Atualizado às 16h39.
POST 4 DE 29

O secretário de educação do Paraná, Roni Miranda, ao ser questionado sobre a greve dos professores, afirmou que os pais devem mandar os filhos para as escolas, pois foi montada uma estrutura para as aulas. A fala foi feita na manhã desta segunda-feira (3) em entrevista aos programas do Grupo RIC, na sede da emissora em Curitiba.

Secretário de educação reforça para pais enviarem alunos para escolas
Secretário de educação reforça para pais enviarem alunos para escolas (Foto: Clara Budal/ RICtv)

“Pai e mãe mande seu filho para escola, as escolas estão preparadas para receber seus filhos. Qualquer situação que ocorra comunique a secretaria, por meio da ouvidoria, e denuncie qualquer impedimento de acesso às escolas. O Paraná já foi exemplo de EAD durante a pandemia, então montamos uma estrutura para que o estudante tenha atendimento por professores que estão na secretaria onde vão ministrar as aulas a distância”, disse Roni Miranda.

O secretário também reforçou que a maioria dos professores não aderiu a greve. “Muitos professores não aderiram, a maioria não aderiu […] Aluno que não foi é falta, assim como o professor que não se apresentar na escola”, completou o secretário.

Secretário esclarece projeto

Durante participação ao vivo no RIC Notícias Manhã, Roni Miranda aproveitou para esclarecer dúvidas sobre o projeto que será votado nesta segunda-feira (3), na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). De acordo com o representante do governo, diferente do que a APP-Sindicato diz, o projeto não pretende privatizar as escolas públicas.

“As escolas serão parceiras. O diretor vai receber apoio de parceiros na área administrativa. A porta quebrada, o telhado com goteira, tudo isso passa a ser responsabilidade do parceiro e não mais do diretor. Os estudantes não pagam mensalidade. O que está sendo espalhado é uma fake news, uma mentira. Estudante não vai pagar mensalidade e as escolas continuam a mesma coisa para os estudantes”, afirmou Roni Miranda.

O secretário aproveitou para reforçar que o projeto já foi testado em dois colégios e houve aprovação de 90% da comunidade. “Estudantes tiveram avanço na aprendizagem e melhoraram a frequência”, disse Roni.

A respeito da greve, iniciada por parte dos professores nesta segunda-feira (3), Roni declarou que não houve tentativa de negociação por parte da APP-Sindicato.

Greve dos professores

Entre as justificativas para a paralização está a terceirização de 200 colégios públicos pelo governo do estado a partir de 2025 e o fim da terceirização do cargo de funcionários dos colégios. Além disso, a categoria reivindica o pagamento da data-base, cuja dívida seria de mais de 39% com os educadores e servidores.

O programa Parceiro da Escola, que visa terceirizar escolas públicas no Paraná, teve aprovação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta quarta-feira (29). Apesar disso, uma nova sessão extraordinária deve acontecer na próxima segunda-feira (3). A Comissão de Educação também deve se reunir no mesmo dia. Após as devidas aprovações, a proposta deve seguir para o Plenário.

Segundo pesquisa realizada com pais e responsáveis de alunos matriculados nas duas escolas participantes do projeto piloto mostra que mais de 90% deles aprovam o programa. Os benefícios vão do aumento da frequência escolar à inexistência de aulas vagas.

Quer receber notícias no seu celular? Então entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui

Mostrar próximo post
Carregando