Bebês curitibanos passam a fazer o Teste do Coraçãozinho

A partir desta quinta-feira (8) os bebês que nascerem nas maternidades que integram a rede pública farão um novo exame antes de receber alta hospitalar.

É a oximetria de pulso, ou “Teste do Coraçãozinho”, que auxilia no diagnóstico precoce de um problema de saúde que afeta oito em cada mil nascidos vivos: as cardiopatias congênitas.

A implantação do teste será nesta quinta, às 8h, no auditório do Hospital do Trabalhador, data em que o programa de atenção materno-infantil Mãe Curitibana completa 13 anos. O prefeito Luciano Ducci e a secretária municipal da Saúde, Eliane Chomatas, participarão do evento.

O prefeito de Curitiba afirma que a oferta do teste marca a evolução em qualidade do programa Mãe Curitibana, que já atendeu 210 mil gestantes e acumula conquistas como a redução das taxas de mortalidade infantil e materna, da transmissão vertical do vírus da AIDS e da gravidez na adolescência.

“A cada ano introduzimos um componente novo para melhorar a saúde e o bem-estar dos bebês e das suas mães. Temos certeza de que esse exame simples é mais um passo para continuarmos tendo sucesso no trabalho pela saúde e a vida das mães e crianças curitibanas”, observa Luciano Ducci.

O prefeito entregou ao Hospital do Trabalhador dois instrumentos para uso exclusivo nos bebês. Os demais cinco hospitais da cidade que fazem partos para a rede pública de saúde também receberão os equipamentos.

Oximetria – O teste, feito entre 24 e 48 horas depois do nascimento, mede a concentração de oxigênio e verifica a circulação do sangue no organismo. O equipamento é conectado na mão direita e no pé do recém-nascido. O resultado é normal se o aparelho registrar nível de oxigenação maior ou igual a 95% nas duas extremidades.

Se o resultado for menor que 95% de oxigenação ou houver uma diferença maior ou igual a 3% entre o dedo da mão e o do pé, o teste é repetido no período de 1 hora.

Persistindo o resultado, a criança é submetida a uma ecocardiografia e passa a receber acompanhamento cardiológico.
O resultado do exame é anexado na Caderneta de Saúde da Criança, assim como já ocorre com os testes para verificar a visão (teste do olhinho), doenças congênitas (teste do pezinho) e audição (teste da orelhinha).

Acompanhamento – De todas as gestantes acompanhadas pelo Mãe Curitibana, 84% começam a fazer o pré-natal antes do quarto mês de gravidez. A média de consultas durante todo o acompanhamento é de 7,93. O Ministério da Saúde considera satisfatória a garantia de oferta de seis consultas durante toda a gestação.

Em decorrência desse acompanhamento, Curitiba também reduziu a transmissão vertical do HIV para 1,14% e a mortalidade infantil para 8,72 por mil nascidos vivos (dado preliminar). Em 1999, ano da implantação do Mãe Curitibana, a taxa era de 16,6 por mil. A gravidez na adolescência caiu de 19,3% para 14,2%.

7 mar 2012, às 00h00.

No Ar

Balanço Geral Curitiba

As principais notícias de Curitiba e região, de segunda a sábado. Acompanhe com Jasson Goulart.

🔴AO VIVO

Próximos programas

  • 17h20 RIC Notícias Live
  • 20h55 Cidade Alerta Paraná
Mostrar próximo post
Carregando