Capital do Paraná já é referência na prevenção da obesidade

As escolas da rede municipal de Curitiba já são referências na prevenção da obesidade. Além de merenda balanceada oferecidas nas escolas e creches, as crianças com sobrepeso têm uma atenção especial das nutricionistas e dos professores da Secretaria de Educação. Elas também são estimuladas à prática de exercícios físicos e de hábitos saudáveis.

Os cuidados com a alimentação também cresceram nos últimos anos nas escolas. Se há 15 anos, o problema enfrentado era a subnutrição, hoje é o sobrepeso das crianças. “É demorado, é a longo prazo, mas a gente tem bastante confiança que é por aí o caminho”, afirma a nutricionista Sílvia Rocha, da Secretaria de Educação de Curitiba.

O caminho apontado pela nutricionista permeia o cardápio oferecido nas escolas e creches. Neste ano, serão servidas 252 mil refeições diárias. O cardápio é feito uma vez por mês e o número de refeições depende da faixa etária dos alunos e do tempo que eles passam na escola ou na creche.

Nas escolas e creches há limitação no consumo de alimentos industrializados como achocolatados e embutidos. Somente 30% dos recursos podem ser destinados a compra destes produtos. É proibido oferecer alimentos com zero valor nutritivo e calorias, gorduras e sódio em excesso, como refrigerantes, biscoitos, balas e salgadinhos. Nas escolas não existe cantina comercial.

Uma merenda diferenciada é servida para estudantes com problemas de saúde como diabetes, intolerância à lactose, doença celíaca e alergias diversas (tomate, corantes, etc). As escolas também fazem campanha para que nenhuma criança leve merenda de casa.

Campanha – Nesta semana, a Secretaria de Saúde de Curitiba começou em nove escolas, as ações de prevenção à obesidade, apontada pelo Ministério da Saúde como fator predisponente a doenças como hipertensão e diabete. Profissionais de saúde e educação – nutricionistas e professores de educação física – realizam brincadeiras e oficinas com os estudantes, conversam e orientam os pais sobre os problemas causados pela obesidade e de como evitá-los, através de alimentação balanceada, exercícios e hábitos saudáveis.

A campanha já alcançou os alunos e pais da Escola Doracy Cesarino, na Regional Portão, e segue nas escolas Láia Bastos (Boqueirão), Caic Bairro Novo (Bairro Novo), Cecília Meirelles (Boa Vista), Lúcia Bastos (Boqueirão), Professor Nilo Brandão (Cajuru), Cândido Portinari (CIC), Hildebrando de Araújo (Matriz), Monteiro Lobato (Pinheirinho) e Anita Gaerther (Santa Felicidade). A campanha se estenderá às 28 escolas de Curitiba – 19 estaduais e as nove municipais integrantes do Programa Saúde na Escola.

Exemplo – A referência de Curitiba ganhou destaque em programas como Globo Repórter. O programa destacou a qualidade da merenda escolar e a importância das atividades físicas nas escolas municipais de Curitiba.

A escola municipal Paulo Freire foi apontada como exemplo onde os professores dão atenção especial aos alunos que “já passaram das medidas”. “As atividades físicas foram dobradas. Em vez de duas, quatro vezes por semana. Tudo, em ritmo de brincadeira”.

O trabalho desenvolvido surtiu efeito. A aluna Victória Lis Félix Silvério, de 8 anos, da escola Paulo Freire, levou os hábitos saudáveis e um novo ritmo de vida á sua família. “Antes, era arroz, não tinha salada. Era difícil colocar uma salada mesmo na mesa. Às vezes, tinha, mas só alface, o feijão, a carne e acabou”, conta a mãe, Isis Felix Silveiro.

E a mãe de Victória aprendeu a lição. “Eu preciso também, porque eu também estou acima do peso. Então, para mim, está sendo ótimo. A gente tem se sentido mais leve até. E a consciência, também”, destaca..

7 mar 2012, às 00h00.
Mostrar próximo post
Carregando