Portão Cultural reabre as portas à comunidade

Faltam poucos dias para que a cultura conquiste mais espaço no bairro Portão. Em 29 de junho próximo, às 19h, a comunidade ganha o Portão Cultural, antigo Centro Cultural Portão, que reabre suas portas depois de uma reforma que teve início em 2008. Para a festa que marca a entrega da obra não há necessidade de apresentação de convite. “É um reencontro da população com um espaço que marca a história da cidade”, destaca Roberta Storelli, presidente da Fundação Cultural de Curitiba.

A Prefeitura de Curitiba devolve à população um complexo arquitetônico com área de 4827,55 m2, totalmente revitalizado, e que abriga o MuMA – Museu Municipal de Arte, o Cine Guarani, o Auditório Antônio Carlos Kraide, a Casa da Leitura Wilson Bueno e um Centro de Arte Digital, além de Espaço de Convivência e salas para cursos e projetos de ação educativa.

Como em toda obra deste porte, os detalhes merecem cuidados especiais e agitam os dias que antecedem a entrega do Portão Cultural. As salas de exposições recebem acabamento de pintura nas paredes e módulos para suporte das obras de arte. Vidros, pisos e calçadas passam por limpeza final, enquanto são colocadas as placas de sinalização, incluindo sistema em Braille. Intervenções visuais na fachada do prédio e revisão da iluminação, além da chegada do mobiliário da biblioteca envolvem várias equipes.

No cronograma estão previstos para os próximos dias o teste final da parte elétrica e do sistema de ar condicionado, a complementação da instalação lógica e de telefonia e a colocação das poltronas do Auditório Antonio Carlos Kraide e do Cine Guarani.

Entre as atividades que exigem maior concentração dos funcionários estão a organização do material literário da Casa da Leitura e a montagem das exposições, colocando ao alcance dos visitantes parte do acervo de 3.814 obras do MuMA que estava temporariamente abrigado na reserva técnica do Memorial de Curitiba. Por sua importância como bem cultural, o MuMa é cadastrado pela Prefeitura de Curitiba como Unidade de Interesse Especial de Preservação (UIEP)

Mudanças significativas tornam o Portão Cultural um endereço mais atraente àqueles que procuram lazer aliado ao conhecimento. A transformação da antiga biblioteca em Casa da Leitura homenageia Wilson Bueno, um dos mais importantes escritores paranaenses, e torna-se um centro de estudos e pesquisas ligado à leitura. À promoção do hábito de ler juntam-se ações que englobam cursos, seminários e conferências voltados a agentes multiplicadores e incentivadores, como é o caso dos professores da rede municipal de ensino, contadores de histórias, arte-educadores e voluntários.

Outra novidade é o Centro de Arte Digital, alinhando o espaço à tendência mundial do uso das inovações tecnológicas nas diversas áreas da arte, especialmente nas artes visuais. O objetivo é disponibilizar a artistas, estudantes e investigadores de arte um laboratório que funcione como ateliê livre e ofereça um ambiente propício à pesquisa e à reflexão.

A facilidade de acesso ao Portão Cultural também é um convite aos curitibanos e turistas. O endereço foi totalmente adequado às normas de segurança do Corpo de Bombeiros e às exigências de acessibilidade, com elevadores, rampas, banheiros adaptados e pista tátil. Igualmente preparado, o Auditório Antonio Carlos Kraide conta com camarins que atendem a artistas portadores de necessidades especiais.

“O Portão Cultural recebeu alterações arquitetônicas que permitem maior interação entre o público e os espaços, oferecendo mais segurança aos visitantes, funcionários e acervos”, destaca Marili Azim, diretora de Patrimônio Cultural da Fundação.

19 jun 2012, às 00h00.
Mostrar próximo post
Carregando