Prefeitura de Londrina avalia estragos e decreta estado de emergência

O prefeito Barbosa Neto concedeu ontem (19), em frente à barragem do lago Igapó 1, uma entrevista coletiva na qual fez um balanço inicial dos danos causados pelas chuvas ininterruptas que assolam Londrina. No início de junho já choveu o equivalente a 118 milímetros, oito milímetros a mais do que os 100 milímetros previstos para o mês inteiro.

Conforme informações do prefeito, as chuvas já causam estragos em algumas partes da cidade. O Parque Arthur Tomas está fechado para visitação. O abrigo Barra Funda, na região rural; e as pontes do Sabará e do Avelino Vieira também sofreram estragos. A rua Almeida Garret está interditada, o Lago transbordou e invadiu a rua, a passagem da rotatória da barragem para a avenida Harry Prochet está interrompida. No Santa Mônica, no local conhecido como Cantinho do Céu já está sendo feito um levantamento pela Cohab dos danos causados.

O prefeito Barbosa Neto já cancelou sua agenda de viagens desta quarta-feira para ficar na cidade e continuar o levantamento dos prejuízos causados pela chuva. ”É um momento de alerta. Precisamos ter cautela, mas também preocupação. As famílias que estiverem desabrigadas podem se dirigir ao Moringão. O ginásio ficará a disposição da população, com colchões, água potável e todas as condições.”

Todo o secretariado está trabalhando em prol da cidade. A Defesa Civil está prestando a assistência com a Guarda Municipal nas ruas; a CMTU organiza o tráfego de veículos nos locais onde está impedido o trânsito; a Assistência Social se mobiliza para receber as famílias que necessitarem de ajuda. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil do estado já foram notificados.

O prefeito destacou ações que minimizaram os danos causados pelas chuvas. “Essa administração já retirou cerca de 850 famílias de fundos de vale. Hoje, graças a Deus, ainda não temos nenhuma confirmação de famílias desabrigadas”, afirmou. Ele disse ainda que a administração esteja trabalhando para evitar o assoreamento e melhorar o escoamento da cidade. A cerca de 60 dias a prefeitura retirou 14 caminhões truck de terra do Lago Igapó, o que representa 280 toneladas. Tudo isso evitou um mal ainda maior”.

De acordo com o prefeito, o trabalho agora é tentar minimizar os danos e trabalhar o mais rápido possível para que a cidade volte ao normal. “Precisamos amenizar o sofrimento das famílias que foram afetadas. Ainda não é hora de declarar situação de emergência ou calamidade pública, espero que não chegue a esse ponto. Vamos torcer pra chuva parar”, disse Barbosa Neto ontem (19). Mas, nesta manhã de quarta (20) a Prefeitura declarou Estado de Emergência.

20 jun 2012, às 00h00.

No Ar

RIC Notícias Live

As notícias mais curiosas e importantes do Paraná e do Brasil, de segunda a sexta-feira, com Manuella Niclewicz e Evandro Harenza.

🔴AO VIVO

Próximos programas

  • 20h55 Cidade Alerta Paraná
  • 22h20 RIC Notícias Noite
Mostrar próximo post
Carregando