Revitalização das calçadas da área central de SJP

Síndico de um condomínio na área central de São José dos Pinhais, o aposentado Pedro Obladen comemora uma melhoria para a vizinhança. Morador da Rua Izabel A Redentora desde 1985, o síndico acompanha a implementação de novas calçadas em frente aos prédios.  “Nós temos aqui muitos moradores idosos. Por mais que cuidássemos das calçadas antigas, quebravam pedaços e ficava perigoso. Vai ficar muito melhor”, afirma.

Além de Pedro e vizinhos, pessoas que passam diariamente próximos a equipamentos públicos serão beneficiados com a instalação de novas calçadas, que já tiveram suas obras iniciadas nesta semana e devem continuar nas semanas seguintes. Lídia Inkote, comerciante da Rua Paulino Siqueira Cortes, havia feito ela mesma a calçada da frente da loja com seu próprio investimento, mas elogia o novo calçamento. “Se é uma melhoria, nós ficamos satisfeitos. A calçada nova está ficando muito bonita”, afirma.

O novo pavimento a ser implantado, conforme explica o diretor do Departamento de Viação da Prefeitura de São José dos Pinhais, Hugo Myszkovski, é de blocos de concreto, conhecidos como paver. “O paver, composto por blocos intertravados de concreto, é um piso de maior durabilidade, permeabilidade e que apresenta características antiderrapantes”, detalha Hugo. No caso de necessidade de obras nas calçadas, opaver não precisa ser quebrado, é apenas retirado e inserido novamente em seguida.

Estão recebendo as novas calçadas nesta semana as ruas João Angelo Cordeiro, Paulino de Siqueira Cortes, Dona Izabel a Redentora e XV de Novembro, esquina com a Av. das Torres. Nas próximas semanas serão iniciadas as obras nas ruas Passos de Oliveira, Senador Souza Naves, Zacarias Alves Pereira, Pe. Bittencourt, Scharffenberg de Quadros, Sete de Setembro, Joaquim Nabuco e Mal. Deodoro da Fonseca.

Conforme explica Lilian Ferri, arquiteta do Departamento de Planejamento Territorial e Urbano, a escolha das calçadas a serem revitalizadas nessa primeira fase está relacionada a fatores como a intensidade do fluxo de pedestres, a existência de equipamentos de grande porte e pontos de parada do transporte coletivo, bem como pisos danificados e larguras inadequadas. “Exemplo é a calçada da Rua Dr. Claudino dos Santos, que foi revitalizada há poucos meses devido ao aumento da circulação de pedestres após a implantação do novo terminal de transporte coletivo”, explica.

A Secretaria Municipal de Urbanismo foi responsável pela elaboração do planejamento das obras, e levou em conta os preceitos de acessibilidade universal, como a adoção de larguras e inclinações adequadas para a faixa livre (faixa exclusiva de circulação de pedestres), opção por pisos regulares e antiderrapantes, tratamento de desníveis e implantação de rampas de acessibilidade nas esquinas. “Dessa maneira, são atendidas também as diretrizes constantes na NBR9050, Norma Brasileira que trata da ‘Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos’”, detalha Lilian.

8 jul 2012, às 00h00.
Mostrar próximo post
Carregando