Trabalhador de Curitiba tem maior salário do país

Com a média de R$ 1.853,50, o trabalhador de Curitiba tem o maior salário entre as sete grandes capitais brasileiras, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Recife. E também é a capital que teve o maior avanço salarial na última década. Os dados foram apurados pelo IBGE em conjunto com o Ipardes.

A renda mensal do curitibano é superior a de São Paulo (R$ 1.764,00), Rio de Janeiro (R$ 1.729,00), Belo Horizonte (R$ 1.612,00), Salvador (R$ 1.518,00) e Recife (R$ 1.247,00). O salário do curitibano também é maior do que a média nacional, hoje na casa dos R$ 1.672,00.

Entre as capitais pesquisadas pelo IBGE, o trabalhador de Curitiba teve maior ganho salarial nos últimos 10 anos. O salário médio do curitibano teve um aumento de 36,4% no período, enquanto que nas outras capitais esse aumento oscilou entre 35,3% (Rio de Janeiro), 33,6% (Salvador), 32,7% (Belo Horizonte), 31,1% (Porto Alegre) e 30,8% (Recife).

O aumento médio do trabalhador de São Paulo foi de 6,6%, o menor registrado no período e no plano nacional, esse aumento ficou em 19,6% entre janeiro de 2003 e janeiro de 2012. Em 10 anos, Curitiba pulou do segundo para o primeiro lugar do ranking salarial dos trabalhadores, bateu a média salarial de São Paulo (R$ 1.654,00-R$1.764,00) e também a média nacional (R$ 1.398,00-R$ 1.672,00) no período.

“Curitiba conseguiu, nos últimos anos, um forte crescimento econômico, aliado a recuperação dos salários dos trabalhadores e o conseqüente aumento do poder de compra e de consumo. E na outra ponta, Curitiba avança, de forma contínua e rápida, na redução da pobreza e no combate à miséria”, avalia o prefeito Luciano Ducci.

Políticas públicas – Todos os indicadores, segundo o prefeito, demonstram, de forma concreta, que Curitiba segue “no caminho certo do desenvolvimento e com políticas públicas no que diz respeito à inclusão social e à melhoria da qualidade de vida”. Estudo a Fundação Getúlio Vargas aponta que Curitiba reduziu a pobreza em 65% em seis anos, enquanto a média nacional do período ficou em 45%.

“Curitiba apresentou uma queda de 10,7% na desigualdade, no período de 2003 a 2009. A queda nacional foi de 4,45% no mesmo período. Em Curitiba já podemos pensar na superação da pobreza antes dos prazos listados nos objetivos do milênio da ONU e da meta esperada pelo governo federal no plano nacional”, destaca Ducci.

O prefeito ainda aponta que além da melhor média salarial entre as capitais, Curitiba também atingiu o status do “pleno emprego”, com taxa de desemprego na faixa dos 3% e já tem quarto maior PIB do país, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

“Na área do emprego, a meta está na qualificação dos trabalhadores. É esse o foco. Em abril, em conjunto com o Sinduscon, vamos fazer uma grande feira do emprego na construção civil, o que inclui vários cursos de qualificação. E em maio, vamos repetir o nosso feirão do emprego. As ações agora voltadas à qualificação do trabalhador curitibano”, adianta Ducci.

12 mar 2012, às 00h00.

No Ar

Mostrar próximo post
Carregando