Vários municípios podem ficar sem água devido ao calor e à estiagem

A chuva desta quinta-feira (9) em várias regiões do Estado não foi suficiente para eliminar os riscos para o abastecimento com água tratada. A estiagem prolongada está reduzindo o volume de água captada nos rios e poços, comprometendo a produção e a distribuição. A Sanepar recomenda que a população intensifique o uso racional da água, pois o consumo aumentou em até 30% em várias cidades.

Em Londrina e Cambé, na região Norte, onde a temperatura tem ficado 10 graus acima da média para o período, o consumo de água cresceu 30% neste mês. Nesta quinta-feira (9), os índices de reservação de água no sistema integrado caíram de 85% para 47%, o que compromete o funcionamento da rede de distribuição. Equipes da Sanepar executam manobras emergenciais para garantir o abastecimento a todas as regiões. No entanto, é possível que moradores que não possuem caixa de água fiquem desabastecidos.

Em Santo Antônio da Platina, Norte Pioneiro, onde o aumento no consumo chega a 14%, a produção de água tratada caiu mais de 25%. A queda se deve à redução na vazão do Ribeirão do Boi Pintado. Em média, o ribeirão fornece 220 metros cúbicos por hora, mas só é possível captar 120. Cerca de 40% da produção de água tratada para a cidade vêm de poços e não têm sido suficiente para atender a demanda.

No Norte Pioneiro, cinco cidades apresentam quadro crítico devido à estiagem: Cambará, Ibaiti, Siqueira Campos, Guapirama e Wenceslau Braz. Com exceção de Guapirama, as outras são abastecidas por mananciais superficiais. Todas as fontes – poços, minas e rios – estão com a vazão reduzida, situação agravada no caso dos rios com desmatamento e falta de mata ciliar.

Na região de Cornélio Procópio, no Norte, a estiagem coloca em situação de risco o abastecimento de Assaí, Curiúva, São Sebastião da Amoreira, Congonhinhas e Sapopema. Em Assaí, caiu pela metade a vazão de duas minas que integram o sistema.

Em Cianorte, no Noroeste, cujo consumo de água aumentou 30%, foi necessário implantar rodízio para garantir o abastecimento. A cidade foi dividida em dois grupos, sendo que parte dos imóveis fica sem água das 8  às 15 horas  e os demais das 15 às 22horas.

A mina que abastece Bom Sucesso do Sul teve a vazão reduzida em mais de 50%. Técnicos da empresa executam melhorias operacionais no sistema para normalizar o abastecimento.

Na região de Francisco Beltrão, no Sudoeste, os municípios de Pranchita, Dois Vizinhos, Flor da Serra do Sul e Nova Prata estão em alerta. Em Pranchita, por exemplo, a vazão da mina de água onde é feita a captação baixou cerca de 24% de sua capacidade. Em Dois Vizinhos, a situação é ainda mais alarmante, pois a vazão do Rio Girau Alto já teve queda de 50%.

Os municípios vizinhos a Pato Branco – Vitorino, Bom Sucesso do Sul, São Jorge do Oeste e Verê – também estão em situação preocupante. Em Vitorino e Bom Sucesso, onde o abastecimento é feito por minas de água, a Sanepar já precisou acionar a captação em rios devido à diminuição de 50% da vazão das minas. Em São Jorge e Verê, o consumo elevado está acima da capacidade da produção.

A Sanepar pede que a população utilize a água tratada de forma racional, reduzindo o tempo no banho; fazendo reuso da água da máquina e do tanque de lavar roupa; e deixando de lavar carro e calçada.

10 fev 2012, às 00h00.

No Ar

Cidade Alerta Paraná

Tudo que acontece no Paraná e que afeta o seu o dia a dia, de segunda a sexta, com Paulo Gomes.

🔴AO VIVO

Próximos programas

  • 22h20 RIC Notícias Noite
Mostrar próximo post
Carregando