Advogado pede exame de sanidade em suspeita de ataque com soda cáustica no PR

Defesa contesta indiciamento, que passará agora pelo crivo do Ministério Público do Paraná antes de virar denúncia

Publicado em 3 jun 2024, às 18h41. Atualizado às 18h44.
POST 3 DE 3

O advogado de defesa de Débora Custódio, Jean Eduardo Bronoski Campos, informou nesta segunda-feira (03) que vai pedir o exame de sanidade mental da suspeita de atacar a jovem Isabelly Ferreira com soda cáustica, em maio deste ano no município de Jacarezinho, no norte pioneiro do Paraná.

Advogado pede exame de sanidade mental para suspeita de atacar jovem com soda cáustica
Débora deve responder por tentativa de homicídio contra Isabelly (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

Em um vídeo divulgado para a imprensa, Campos reforçou que Débora não teve a intenção de matar Isabelly e acha que a conclusão do inquérito foi exagerada. “Ela jamais teve o intuito de ceifar a vida dessa jovem. Muito pelo contrário”, disse o advogado.

Suspeita de atacar jovem com soda cáustica é indiciada por tentativa de homicídio

A suspeita do ataque com soda cáustica contra a jovem Isabelly Ferreira foi indiciada nesta segunda-feira (3) pelo crime de tentativa de homicídio pela Polícia Civil do Paraná (PCPR). Agora, o pedido de indiciamento será analisado pelo Ministério Público do Paraná (MPPR), que pode acatar o entendimento da polícia ou alterar a tipificação do crime.

Débora (à direita) confessou que jogou soda cáustica em Isabelly (à esquerda) por ciúmes (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

De acordo com a defesa de Debora Custódio, de 22 anos, que é suspeita pelo ataque com soda cáustica, em Jacarezinho, a expectativa é que a jovem responda apenas por lesão corporal, que é um crime de menor gravidade.

A conclusão do inquérito pela PCPR aponta que a suspeita teria cometido os crimes de tentativa de homicídio qualificada por motivo fútil e tentativa de feminicídio. Esse indiciamento agora passará pelo crivo do MPPR, responsável por oferecer a denúncia à Justiça. Caso o Ministério Público acate o que foi proposto pela polícia, a suspeita seria julgada pelo Tribunal do Júri.

Defesa contesta indiciamento: “medida totalmente exagerada”

Por outro lado, a defesa da suspeita se declara surpresa com a natureza do indiciamento, que acredita não ser o adequado.

“Ao nosso ver é uma medida totalmente exagerada, fora do contexto fático. Justamente porque a Débora jamais teve o intuito de ceifar a vida dessa jovem. Nos parece mais uma medida vingativa do que a justiça. Nós esperamos que o Ministério Público possa entender de uma forma diferente. A Débora sim merece responder, está à disposição da Justiça, no entanto, a imputação pelo crime de tentativa de homicídio é exagerada. Como a própria defesa já tem dito, pelo estado de saúde da vítima, no máximo um crime de lesão corporal de natureza grave”, afirma Jean Campos, advogado que defende a suspeita.

Vitima do ataque deixa a UTI, mas segue internada

Enquanto a polícia conclui o inquérito, a jovem Isabelly Ferreira apresenta melhoras em seu estado clínico. De acordo com o boletim médico divulgado nesta segunda-feira, pelo Hospital Universitário de Londrina, ela deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e segue o tratamento em um quarto.

Isabelly Ferreira, jovem atacada com soda cáustica
Isabelly deixou a UTI , mas permanece internada no Hospital Universitário de Londrina (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Além disso, o boletim confirma que a moça está consciente e respira sem ajuda de aparelhos. Na última quarta-feira (29), ela prestou depoimento à Polícia Civil, por videoconferência, para detalhar o atentado sofrido.

Quer receber notícias no seu celular? Então entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui

Mostrar próximo post
Carregando