Polícia descarta participação de ex-namorado em ataque com ácido contra jovem

O ex-namorado seria o motivo do ataque com ácido contra a jovem Isabelly Ferreira, no Paraná. A suspeita do crime está presa

Publicado em 27 maio 2024, às 18h10.
POST 21 DE 26

A Polícia Civil descartou a possibilidade do ex-namorado de Isabelly Ferreira estar envolvido no ataque a jovem com ácido em Jacarezinho, no norte do Paraná. A vítima segue internada em estado grave nesta segunda-feira (27), no Hospital Universitário de Londrina, apesar da melhora em seu estado de saúde.

Polícia descarta a participação do ex-namorado no ataque a jovem com ácido no PR
Isabelly Ferreira continua internada na UTI, em Londrina (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

De acordo com a RICtv Londrina, a suspeita de atacar a jovem confessou em depoimento que agiu sozinha. Depois da prisão e do depoimento, a polícia avançou com as investigações e descobriu que o crime foi premeditado. De acordo com o delegado Tristão, da delegacia de Jacarezinho, a suspeita planejou o ataque e sabia que Isabelly Ferreira passaria pelo local no horário do atentado.

“As imagens evidenciam que foi um crime planejado, ela estudou os passos da vítima. Sabia que ela frequentava a academia e passava por aquele local naquele momento e resolveu cometer a atrocidade”, comentou Tristão.

O ex-namorado de Isabelly foi apontado pela própria suspeita como o motivo para o ataque a jovem. Ela também teve um relacionamento com o rapaz, que está preso, e disse que a motivação foi por ciúme da vítima com o ex-companheiro.

Jovem atacada com ácido apresenta melhora no estado de saúde

Atacada com ácido, a jovem Isabelly Ferreira segue internada em estado grave no Hospital Universitário de Londrina, apesar da melhora em seu estado de saúde. O crime brutal, que comoveu todo o Brasil, segue sendo investigado pela Polícia Civil, que já prendeu a suspeita do atentado e deve encerrar em breve o inquérito que apura as motivações e circunstâncias do caso.

Jovem atacada com ácido não está mais entubada mas segue em estado grave
Isabelly segue internada na UTI e sem previsão de alta (Foto: reprodução/redes sociais)

O ataque contra a jovem de 23 anos aconteceu no início da tarde da última quarta-feira (22), em Jacarezinho, no Norte Pioneiro do Paraná. Isabelly voltava da academia, quando uma pessoa arremessou um líquido em seu rosto. A substância causou graves ferimentos na face e no pescoço da jovem.

Jovem pede ajuda após ser atacada com ácido

Já bastante ferida, Isabelly corre desesperada e pede ajuda a alguns homens que ela encontra no caminho. Esse pedido de socorro foi registrado por uma câmera de segurança, que mostra ainda a jovem caindo no chão após encontrar ajuda.

Um dos homens que acudiu a vítima, o cabelereiro Décio Silva, relata que ela só chorava e chamava a mãe quando pediu ajuda a ele. Foi ele que colocou a jovem dentro do carro e a levou até uma Unidade de Pronto Atendimento da cidade. 

“Ela não conseguia falar, só falava ‘mãe’”, relatou Silva à equipe da RICtv Londrina. “Ela estava com a mão no rosto e ela jogava muito líquido para fora, e aquele odor de soda cáustica. Se é, eu não sei […]. Ela só chorava e chamava a mãe”, disse.

Polícia divulga informações sobre suspeito usando “boné e peruca loira”

Enquanto a vítima era socorrida em Jacarezinho, antes de ser transferida para a Unidade de Tratamento Intensiva (UTI), do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), do Hospital Universitário de Londrina, a Polícia Civil deu início às investigações sobre o crime.

Inicialmente, os policiais apontaram que o suspeito era um homem, que se disfarçou com uma peruca loira e um boné. Essa suspeita surgiu após a análise de vídeos de câmeras de segurança que registraram uma pessoa com essas características caminhando na proximidades de onde ocorreu o ataque com ácido.

Paralelamente às buscas por esse suspeito, os policiais ouviram diversas testemunhas do atentado, para tentar encontrar pistas que levassem à autoria do crime.

Mãe faz desabafo e pede respeito com a filha, internada em estado grave

Bastante abalada com o estado de saúde da filha, então entubada e em coma na UTI do hospital, Regiane Ferreira fez um desabafo em suas redes sociais pedindo mais respeito com Isabelly.

“Muito disse que me disse, é muita verdade, é muita mentira, então aqui vai a verdade. O que sabemos é que a Isabel estava indo para a academia, alguém jogou um líquido nela, que líquido? Não sei, não sabemos. Quem foi? Também não sabemos”, disse a mãe da vítima, rebatendo alguns boatos que circulavam pela cidade.

Reviravolta na investigação e prisão de suspeita

Na madrugada de sexta-feira (24), as investigações sofreram uma reviravolta, com a prisão de uma jovem que passou a ser a principal suspeita do ataque. Era por volta das 5 horas da manhã quando policiais atenderam à uma ocorrência na qual uma mulher estaria pedindo por socorro no pátio de um hotel, também em Jacarezinho.

Essa jovem relatou que quatro homens a perseguiram, sem motivo, e que ela estava escondida em um matagal desde quarta-feira à tarde. Afirmações que geraram desconfiança nos policiais, por conta do dia e horário em que ela havia se escondido, compatível com o ataque contra Isabelly.

Questionada sobre o atentado, a jovem assumiu imediatamente a autoria, segundo a Polícia Civil. De acordo com os policiais, ela relatou que a motivação seria ciúmes, alegando que a vítima teve uma relação com seu ex-companheiro. A jovem ainda disse aos policiais que a substância utilizada era uma mistura de soda cáustica com água.

Investigação avança e desvenda motivação para ataque com ácido

Delegado Tristão conta detalhes de crime com ácido contra jovem no Paraná
Delegado Tristão conta detalhes de crime com ácido contra jovem no Paraná (Foto: RICtv/ Redes Sociais)

Depois da prisão e do depoimento dessa jovem, a polícia avançou com as investigações e descobriu que o crime foi premeditado. De acordo com o delegado Tristão, da delegacia de Jacarezinho, a suspeita planejou o ataque e sabia que Isabelly Ferreira passaria pelo local no horário do atentado.

“As imagens evidenciam que foi um crime planejado, ela estudou os passos da vítima. Sabia que ela frequentava a academia e passava por aquele local naquele momento e resolveu cometer a atrocidade”, comentou Tristão.

Debora Custódio está presa preventivamente em Jacarezinho, após confessar ter jogado soda cáustica em uma jovem
Debora Custódio está presa preventivamente em Jacarezinho, após confessar ter jogado soda cáustica em uma jovem (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

A Polícia Civil apurou ainda que a suspeita, identificada como Debora Custódio, de 22 anos, agiu motivada pelo ciúme que sentia da vítima, que teve um relacionamento com o seu atual namorado.

“Ela (suspeita) encontrou um celular na casa da genitora dele (atual namorado) e viu que a vítima falava ‘o que você faz com essa feia?’, e isso causou muito ciúmes. Além disso, disse que não dormia e premeditou tudo. Disse que agiu sozinha, que o convivente não tem nenhuma participação”, contou a delegada Caroline Fernandes.

Desespero toma conta da família da jovem atacada com ácido

Ainda na sexta-feira, em entrevista à RICtv, a mãe de Isabelly voltou a desabafar sobre o atentado sofrido pela filha. Enquanto o quadro de saúde da jovem seguia grave e inalterado, Regiane Ferreira falou sobre o impacto que o ataque poderia provocar na filha futuramente. “Vai ser muito difícil para ela. Mas minha filha continua linda e perfeita como Deus fez. De forma nenhuma vai afetar a beleza dela”, falou, emocionada.

Regiane disse ainda que acredita que Isabelly monitorada pela suspeita, que sabia qual era a rotina da filha dela. “A Isabelly tem aquele hábito. Sai de casa de manhã, vai trabalhar. Depois vai para academia no horário de almoço. A pessoa sabia que ela ia passar por lá, tanto que estava esperando por ela”.

Jovem atacada com ácido no Paraná
Isabelly Ferreira pediu socorro para a mãe quando foi atacada (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

Sabendo da prisão da suspeita, a mãe de Isabelly agora clama por justiça. “Que a Justiça seja feita. Não posso falar que acredito, mas também não posso falar que não acredito. A maldade do ser humano é muito grande, então vou deixar nas mãos dos policiais, porque estão trabalhando muito. Vou deixar na mão deles. Acredito na Justiça”, disse.

Vítima de ataque apresenta melhoras no quadro de saúde

Apesar de ainda necessitar de cuidados intensivos e não ter nenhuma expectativa de receber alta, a jovem Isabelly Ferreira apresenta melhoras em seu quadro de saúde. No sábado (25), três dias após o ataque com ácido, a jovem passou a respirar sem ajuda de aparelhos.

Além disso, Isabelly recobrou a consciência e respira sem dificuldades, mas permanece em estado grave e internada na UTI do Centro de Tratamento de Queimados, do Hospital Universitário de Londrina.

Quer receber notícias no seu celular? Então entre no canal do Whats do RIC.COM.BR. Clique aqui.

Mostrar próximo post
Carregando